Número de vítimas de crime digital aumenta no Brasil; veja dicas para não cair em armadilhas

Wellington Carvalho

14/08/2013

  • Foto: Shutterstock
São Paulo, SP — O número de pessoas que já sofreram ou conhecem alguém que tenha sido vítima de crime digital passou de 12,7% em 2012 para 17,9% neste ano, segundo a quinta edição da pesquisa O Comportamento dos Usuários na Internet, feita pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo no Estado de São Paulo (FecomercioSP), divulgada nesta segunda-feira, 12.

Os resultados apontam que os homens continuam sendo os mais atingidos, com 20,6% dos entrevistados afirmando já terem sido vítimas, contra 15,2% das mulheres. Realizada em maio, a pesquisa entrevistou mil pessoas na capital paulista e mostra que, em 2012, 79,8% dos usuários usavam alguma ferramenta de prevenção e que neste ano o número caiu para 65,4%.

Segundo a economista Kelly Carvalho da FecomercioSP, o crescimento do número de vítimas de crime eletrônico preocupa. “As pessoas pensam que estão protegidas e deixam de tomar os devidos cuidados, até que se tornam vítimas. Publicar fotos e divulgar dados pessoais, por exemplo, é muito perigoso, assim como senhas de fácil acesso e fazer check-in [de vôo] no local onde estão”, afirma.



Leia mais:
- O poder das mídias sociais e o cuidado com a exposição
- No Dia da Internet Segura, veja dicas para diminuir riscos em compras on-line
- Uso indevido de internet em ambiente profissional pode levar à demissão

Infelizmente, também há muitos relatos de pessoas que foram vítimas de golpes financeiros após divulgar informações pessoais, tornando-se alvos para ações de criminosos. Além disso, o bullying, o sequestro e até mesmo a pedofilia estão presentes no cotidiano da internet. Tendo em vista a seriedade do assunto, o Portal Boa Vontade promove dicas de segurança para que você possa navegar na internet tranquilamente:

— Nunca divulgue nome completo, endereços, números de telefone ou fotos íntimas;
— Nas redes sociais, mantenha contanto com as pessoas que realmente conhece;
— Evite gravar as senhas e login no computador para não facilitar roubos;
— Cuidado ao baixar arquivos: eles podem conter vírus, materiais impróprios ou ilegais. Antivírus e filtros podem ajudar a proteger;
— Nunca aceite que sites instalem programas em seu computador e não faça download de nada que você não saiba exatamente o que é e de onde vem;
— Busque provedores e serviços que ofereçam recursos de segurança, que sejam éticos e responsáveis;
— Para realizar compras virtuais, prefira sites recomendados por amigos e ainda sim pesquise sobre a idoneidade da empresa em órgãos de defesa do consumidor;
— Observe também que tipos de parceiros o site de compras possui. Caso o site ofereça o pagamento por meio de empresas confiáveis, as chances da compra ser concluída sem problemas aumentam;
— Ao acessar sua conta bancária online e havendo desconfiança dos procedimentos do site, entre em contato com seu banco;
_______________________
* Com informações da Agência Brasil.